Quarto argumento sobre a existência de Deus

L_O_pensador

 

A invisibilidade ainda é o principal apoio para a descrença na existência de Deus, sendo que, para a ciência, a ausência de dados concretos da origem da vida e da matéria ainda mantém a crença na inexistência de Deus como criador.

Há um ponto favorável para ambos os lados: tanto para a ciência quanto para a fé teológica, é extraordinário o que se vê nas invisibilidades dos objetivos, e se encontram num ponto comum: liberar forças nos questionamentos ainda que tratadas em pressupostos e subjetividades diversas, trafegando do absurdo devaneio ao lógico possível.

Mas quando se “busca” o Altíssimo, simplesmente não crer nEle pelo argumento que tal Ser é “invisível”, por isto, inexistente, apequena a inteligência e reduz em nada as infinitas probabilidades do tudo pode vir a ser ou o tudo pode ou poderá existir. Descrer é limitar as probabilidades que são, de fato, infinitamente possíveis, tanto para a teologia quanto para a própria busca científica.

Ver para crer é um mero exercício primário do óbvio…

Crer no Ser que não é humanamente visível é a audácia da inteligência espiritual que se lança naquele que existe, sim, infinitamente, a despeito dos incrédulos olhos finitos.

 

 

Autor do texto: JUDSON SANTOS

ATENÇÃO!

Todos os direitos autorais reservados. Nenhuma parte das publicações neste site não pode ser reproduzida, armazenada ou transmitida de qualquer forma e por quaisquer meios sem a autorização prévia do autor.

 

Compartilhe!

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *