Poemas

João, espere o vovô para brincar!

João, espere o vovô para brincar!

JOÃO NETINHO

Vovô está longe…

Longe agora, mas estou chegando

Chegando para te abraçar

Abraçar apertadinho

Apertadinho sem querer soltar

Soltar só gargalhadas até rolar no chão

Chão de grama, de lama; rolar livre

Livre pra se lambuzar inteiro

Inteiro nas alegrias inquietas

Inquietas são as pernas que correm

Correm atrás da bola

Bola de gude, da pipa que sobe

Sobe na árvore, e pula

Pula, sem cuidado com o tombo!

Tombo que faz o “meu Deus!” da mamãe

Mamãe se agita; papai tranquilo só olha

Olha o biquinho de choro!

Choro que chama o vovô

Vovô corre…

Corre e quase sem fôlego beija

Beija o joelho arranhado e abraça

Abraça como Deus protege; com amor

Amor é o seu nome, João!

João, o netinho do vovô

Judson

Autor: Judson Santos

 

ATENÇÃO!

Todos os direitos autorais reservados. Nenhuma parte das publicações neste site não pode ser reproduzida, armazenada ou transmitida de qualquer forma e por quaisquer meios sem a autorização prévia do autor.

Nem com uma flor

NEM COM UMA FLOR

Você, mulher!

Que chora, acredita e luta

Vive sem tempo…

Ainda encontra tempo

Acolhe, ama e beija

Você, mulher!

Frágil, forte

Cansada, determinada

Simplesmente ternura

Simples, terna e pura

Você, mulher!

Sem voz, inteiro coração

Coração que bate; jamais se cala

Se este coração chorar

Mil vozes chorarão com você, mulher!

Violência…?

Nem com uma flor.

                                                                                               Autor:      JUDSON SANTOS

ATENÇÃO!

Todos os direitos autorais reservados. Nenhuma parte das publicações neste site não pode ser reproduzida, armazenada ou transmitida de qualquer forma e por quaisquer meios sem a autorização prévia do autor.

 

Quem faz amor, nasce poesia

Quem faz amor, nasce poesia

tumblr_lzmamhXdgG1r0gewwo1_500

Quem faz amor nasce poesia.

Se você se derreter
Desça inteira em meus lábios
Que neste suave descer de carinho

Deslizará…
– a ternura
– a paixão
– e o bem querer

Somente assim a minha solidão
Deixará de existir
Existindo, assim, só você

Dentro de mim!

                                                                                  Autor:       JUDSON SANTOS

ATENÇÃO!

Todos os direitos autorais reservados. Nenhuma parte das publicações neste site não pode ser reproduzida, armazenada ou transmitida de qualquer forma e por quaisquer meios sem a autorização prévia do autor.