A enfermidade hormonal da igreja

 

 

EU

 

Tenho as minhas dúvidas se realmente o cristianismo evangélico brasileiro está, de fato, crescendo como “corpo”. A cada dia aprofunda-se a cultura visceral no “quero receber” (Provérbios 30.15). É o “dá e dá” da pseudo ingenuidade espiritual do povo de Deus. É o “dá e dá” dos púlpitos sofísticos na bem engendrada assertividade das retóricas. Acumula-se o “eucentrismo” das prioridades terrenas e absolutamente humanas. Avoluma-se a indiferença para com o irmão fraco e necessitado. Nem sempre necessidade financeira, nem sempre necessidade causada pelas limitações físicas. De uma forma ou de outra, a indiferença está aí para comprovar o perigo de um crescimento equivocado. Cada um na sua ponta, que para si mesmo aponta. Cada um surfa na superfície dos interesses epidérmicos e imediatos. Cada um se apresenta nos argumentos supostamente justificados. Discursos maquilhados.

Nos cultos, Deus é um mero serviçal do aqui e agora. A adoração e o louvor são prólogos do “dá e dá” que se evidencia na mensagem e nos apelos das “orações finais”. De soberano a garçom e na mesma reunião, este é o Deus dos cultos. De soberano a serviçal no mesmo tempo e espaço. Esta transição tem a velocidade marcada pelo ingênua espiritualidade emocionalizada.

E qual a qualidade do crescimento da igreja neste contexto? Preocupante…

Convenhamos: crescimento saudável da igreja tem endereço e destino. Crescimento da igreja tem como alvo o futuro e não o agora. O agora eu faço. O futuro Deus já fez. Crescimento da igreja caminha nas imperfeições em busca do “varão perfeito”. Crescimento da igreja é um caminhar nEle; juntos. Crescimento da igreja é a vivência da intimidade sem o pragmatismo da ditadura da agenda. Crescimento da igreja aponta somente para uma direção: “…à medida da estatura completa de Cristo.” Efésios 4.13. O que passa disto é enfermidade hormonal causada pela excessiva secreção do hormônio do crescimento durante a idade do crescimento. Ou seja: gigantismo.

Que Deus nos salve da total ausência de informações do mais profundo significado de “corpo”. Aliás, estou sendo repetitivo. Paulo já explicou isto.

Autor: JUDSON SANTOS

 

 

ATENÇÃO!

Todos os direitos autorais reservados. Nenhuma parte das publicações neste site não pode ser reproduzida, armazenada ou transmitida de qualquer forma e por quaisquer meios sem a autorização prévia do autor.

Compartilhe!

2 Comentários

  1. Hey! Estive navegando em teu website ha algum tempo. VOCE tem mensagens muito grande. otimo trabalho!

  2. Eu tenho que marcar este website parece muito util

Deixe seu Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *